sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

ALIMENTAÇÃO E DANÇA O VÔO DA ABELHA

Uma abelha colhendo néctar

As abelhas encontram comida da mesma forma que outros animais, por meio de informações sensoriais e de uma percepção das características dos ambientes. As abelhas têm um olfato apurado elas conseguem recordar e reconhecer padrões, como as cores-padrão que provavelmente estão perto de bons alimentos. Elas também podem reconhecer a simetria, uma característica que os cientistas costumam associar com formas de vida mais inteligentes. Todas essas habilidades ajudam a abelha a encontrar e reconhecer as flores, que produzem o pólen usado pelas abelhas como proteína e o néctar, usado como energia.

A vida de uma abelha solitária e de suas crias depende da habilidade que ela tem para encontrar comida, colhê-la e levá-la para o ninho. Para uma abelha exploradora social, a sobrevivência de sua colônia depende das mesmas coisas, além da habilidade de informar para as companheiras de colméia como encontrar a comida. Algumas abelhas sociais fazem isso deixando um rastro com óleos de flores aromáticas ou guiando as companheiras de colméia até parte do caminho. As abelhas domésticas informam para suas irmãs como encontrar comida, água, resina e novos lugares para a construção de ninhos usando uma das linguagens animais mais estudadas: a dança.

Quando uma abelha doméstica campeira encontra comida, ela utiliza duas ferramentas conhecidas para perceber onde está essa comida. Uma delas é sua bússola solar, que permite que ela se lembre onde as coisas estão em relação ao sol. A habilidade da abelha de ver a luz polarizada permite que ela determine onde o sol está, mesmo que ele esteja encoberto por nuvens. A outra ferramenta é seu relógio interno, que permite controlar a distância que já voou. O relógio interno também permite que ela determine quantas vezes o sol se movimenta durante sua jornada. Em outras palavras, quando a abelha volta para a colméia, ela pode informar para suas irmãs exatamente onde está a comida em relação à posição atual do sol, e não na posição em que ele estava quando ela encontrou a comida. À medida em que uma abelha se desenvolve, ela também aprende que a trajetória do sol muda no céu durante as estações do ano e em latitudes diferentes, se sua colméia mudar de lugar. Ela pode incorporar essas mudanças a seus cálculos.

Quando ela volta para a colméia, a abelha campeira recruta suas irmãs para carregarem a comida até o ninho. Elas, como a campeira, são as abelhas mais velhas da colméia. A campeira distribui amostras de comida, que ajudarão suas irmãs a encontrarem o alimento quando chegarem ao destino. Em seguida, ela realiza uma dança na superfície vertical dos favos na colméia. A área onde ela realiza a dança é normalmente conhecida como pista de dança, e as operárias que observam a dança são as seguidoras.

Se a comida estiver próxima, a abelha realiza a dança em círculo, voando em círculos para direções diferentes. Essa dança não passa muitas informações sobre o local exato onde está a comida. A comida, no entanto, geralmente está próxima o suficiente para as operárias sentirem seu cheiro rapidamente.

Quando a comida está longe, a campeira realiza a dança do requebrado. Durante esssa dança ela voa em linha reta enquanto movimenta seu abdômen e, em seguida, volta para o ponto de partida, formando uma curva para a esquerda ou direita da linha. A linha reta indica a direção da comida em relação ao sol. Se a abelha voa em linha reta e para cima da parede da colméia, as campeiras podem encontrar comida voando em direção ao sol. Se ela voa em linha reta e para baixo da parede da colméia, as campeiras podem encontrar comida voando para longe do sol. Enquanto a dança continua, a abelha dançarina ajusta o ângulo do vôo do requebrado para que ele fique de acordo com o movimento do sol.
A velocidade dos círculos de volta permite que as outras abelhas saibam sobre a qualidade da fonte de comida, elas sabem para onde ir seguindo o vôo do requebrado. Com a vibração de suas asas e o movimento de seu abdômen, a abelha dançarina movimenta bastante ar. Fazendo com que as que estão ao seu redor sentirem esse movimento. As abelhas que estão diretamente atrás dela, onde o movimento de ar é maior, recebem informações claras sobre a distância e o lugar para onde devem voar. Quando elas chegam à posição descrita, começam a voar em um padrão de busca até encontrarem a fonte de comida. Depois disso, elas fazem até doze viagens de ida e volta entre a colméia e a comida, lembrando-se da posição todas as vezes. Durante cada viagem, uma abelha pode transportar metade de seu peso em pólen ou néctar. Se necessário, elas realizam uma dança da vibração, em que voam em várias direções enquanto vibram, para encorajar as outras abelhas a começarem a descarregar o néctar.

As abelhas na colméia descarregam o pólen e o néctar e os armazenam nos alvéolos da colméia. Essas abelhas são mais novas do que as campeiras, e mais velhas do que as nutrizes. Cabe a essas operárias determinar quando a colméia tem a quantidade suficiente de um tipo de comida ou material de construção e informar as abelhas campeiras. Elas fazem isso mudando a maneira como aceitam o material. Se elas aceitam com entusiasmo, as campeiras sabem que a colméia precisa de mais. Se as operárias, porém, não estiverem animadas para descarregar o material, as campeiras sabem que a colméia já tem o suficiente .

Para conservar espaço e preservar a comida, as abelhas transformam o néctar em mel. O processo oferece ao mel algumas propriedades únicas.

ciencia.hsw.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário