sexta-feira, 30 de abril de 2010

ÁGUA REFLETE A NOSSA CONSCIÊNCIA


O trabalho do pesquisador japonês Masaru Emoto, 59 anos, é surpreendente. Durante oito anos ele e sua equipe cristalizaram e fotografaram moléculas de água das mais variadas partes do mundo.

As amostras foram retiradas de rios, lagos, chuva, neve e submetidas às vibrações de pensamentos, sentimentos, palavras, idéias e músicas. O mais admirável é que foi possível registrar em imagens a reação das moléculas de água a esses estímulos - tanto os considerados positivos quanto os negativos.

Assim surgiram desenhos maravilhosos, esculpidos como se fossem jóias na estrutura molecular da água quando a amostra fora exposta às palavras Love and Gratitude.

Da mesma forma belas imagens - ou clusters - surgiram quando a água fora submetida à vibração da palavra Thank You ou ao nome de alguém já falecido como Madre Teresa de Calcutá. Mais espantoso ainda é o fato de que os desenhos geométricos não se formaram quando a vibração escolhida fora desagregadora. A imagem revelou-se disforme.

Dr. Masaru Emoto e sua equipe provaram desta forma que a estrutura molecular da água se transforma de acordo com o ambiente. E a maior repercussão desse trabalho é o fato de que temos a possibilidade de mudar as percepções de nós mesmos e do nosso planeta. A cura por meio da escolha dos pensamentos e da forma como colocamos esses pensamentos em ação está agora bem mais próxima.

Admirar a beleza de uma imagem geométrica impressa numa gota de água congelada é impressionante. Mas nada se compara ao fato de saber que aquele desenho formou-se na água porque ela sentiu a vibração de uma palavra de amor, de uma música suave ou de um bonito pensamento.

O japonês Masaru Emoto provavelmente sabia que o impacto dessa notícia seria enorme porque as descobertas envolviam tudo que está em volta do ser humano, inclusive ele mesmo.

Durante 8 anos, Masaru Emoto e sua equipe realizaram experiências em águas de rios, lagos, chuvas, neves de todas as partes do mundo. Com equipamento sofisticado e rigor científico, o professor submeteu a água à música, palavras faladas, escritas, preces e os mais variados tipos de sentimento.

Em seguida cristalizou e fotografou as moléculas de água na busca da comprovação dessa "sensibilidade". Na maioria dos casos as águas foram fotografadas antes e depois da exposição. O resultado desse trabalho está no livro A Mensagem da Água, publicado em 1999 em japonês e inglês, divulgado em todo o mundo. Ele exibe 161 fotos que mostram a resposta da água aos vários estímulos. A pesquisa pioneira é considerada por especialistas como um dos mais extraordinários trabalhos sobre o tema que se tem conhecimento

A vida humana está conectada diretamente à qualidade de nossa água, dentro e em torno de nós. O corpo humano é como uma esponja com trilhões de camadas, chamadas células, que comportam líquido. Ele é composto por 70% de água - assim como o nosso planeta.

A água é a fonte de toda a vida na Terra e a qualidade e a integridade são vitalmente importantes a todas as formas de vida. A possibilidade de o pensamento afetar tudo o que nos cerca nos leva a repensar a própria condição humana.

O mérito do Dr. Masaru foi comprovar por meio das fotos que as energias vibracionais humanas (pensamentos, palavras, idéias e músicas) afetam a estrutura molecular da água. A água é uma substância muito maleável. Sua forma física adapta-se facilmente ao ambiente que a contém. Mas a aparência física não é a única coisa que muda, a sua estrutura molecular também muda.

O Dr. Masaru congelou gotas de água e examinou-as sob um microscópio de campo escuro dotado de recursos fotográficos. A nascente de água pura que jorra da montanha mostra maravilhosos desenhos geométricos em seus padrões cristalinos. Águas poluídas e tóxicas de áreas industriais e povoadas, águas estagnadas das tubulações e represadas mostram estruturas cristalinas definitivamente distorcidas e formadas aleatoriamente.

Para observar o efeito da música na estrutura da água ele colocou uma água destilada entre dois alto-falantes por diversas horas (experiência com Beethoven e Heavy Metal) e fotografou então os cristais que se formaram depois que a água foi congelada.

Após ter visto como a água reagia às circunstâncias ambientais, poluição e música, o Dr. Masaru e seus colegas decidiram observar como os pensamentos e as palavras afetavam a formação das águas destiladas não tratadas e águas puras, usando palavras datilografadas em papel por um processador de texto coladas nos frascos de vidro durante a noite ("amor e admiração", "obrigado", "você me faz mal. Eu vou matar você"). O mesmo procedimento foi executado usando nomes de pessoas falecidas (Hitler e Madre Teresa). As águas foram então congeladas e fotografadas. Os resultados podem ser vistos nas fotos e são surpreendentes.

Dr. Masaru Emoto iniciou a pesquisa sobre o tema em 1984, depois de um encontro com o bioquímico Dr. Lorezen, o inventor da "microcluster eater", uma água energizada para efeitos terapêuticos. Hoje, artigos e entrevistas do Dr. Masaru, traduzidos em vários idiomas, estão nos sites da Internet. Eles se referem principalmente ao seu livro "A Mensagem da Água" com 148 páginas e 161 fotos, publicado em 1999.

Com o título Uma Ecologia Espiritual para o Terceiro Milênio o site italiano auraweb http://www.auraweb.it/  publicou em novembro de 2001 uma entrevista com o Dr. Masaru Emoto e referiu-se a ele como "aquele que soube conversar com a água". Logo na abertura a autora, Roberta Piliego, observa que "a água contém em si um número infinito de respostas, mas a questão não está na sua capacidade de responder, mas sim na demanda."Uma outra entrevista interessantíssima realizada por Reiko Myamoto foi publicada no site The Spirit of Ma'at. Nela o professor falou, por exemplo, sobre a diferença entre o efeito da prece de uma única pessoa e de um grupo de pessoas sobre as moléculas de água.

Se uma pessoa ora com um profundo senso de clareza e pureza, a estrutura da molécula será cristalina e pura porque o resultado é o reflexo da sua intenção e energia. No caso do grupo, se a intenção não for coesa, o resultado será compatível com essa falta de coesão. Mas se todos estiverem unidos na mesma intenção, o resultado é um desenho claro e lindo como o criado pela oração sincera de uma única pessoa.

O professor conta ainda uma de suas mais interessantes experiências. Numa mesa foi colocada uma vasilha com um pouco de água. Dezessete participantes formaram um círculo em volta da mesa e deram-se as mãos. Cada um deles escolheu uma palavra sobre o sentimento de amor e amizade para pronunciar. A água foi fotografada antes e depois dessa experiência. Os resultados, segundo o Dr. Masaru, foram algumas das mais lindas estruturas cristalinas. Em seu tour pela Europa o professor divulgou esse trabalho com uma farta documentação em slides.

A linguagem da vibração é um dos pontos destacados pelo professor. "A palavra falada tem vibração. A palavra escrita também tem vibração. Todas as coisas na existência têm vibração. Se eu fizer um círculo, a vibração do círculo será criada. Se eu escrever as letras LOVE então essas letras vibrarão amor. A água pode ser impressa com essas vibrações. Bonitas palavras têm bonitas e claras vibrações. Palavras negativas não formam 'clusters' (as estruturas geométricas e harmoniosas), produzem vibrações incoerentes, feias e desarmoniosas."

Há um registro no livro Principles of Vibrational Healing de Claire G. Harvey e Amanda Cochrane publicado em 1998 pela Harper Collins Publishers Ltda., sobre um médico alemão de nome Ernst Chaldni que no século18 fez algumas experiências para provar que as vibrações sonoras afetavam a matéria. Ele espalhou areia sobre discos de aço e gravou de que forma ela se movia quando notas diferentes eram tocadas por um violino. Ele conseguiu a formação de bonitos padrões de desenhos e que podiam ser reproduzidos. Um outro cientista inspirado nesse trabalho, o Dr. Hans Jennr, de Zurique, expandiu esses experimentos usando uma aparelhagem sofisticada.

Ele espalhou líquidos, aparas de plástico, limalhas e pó sobre discos e então passou diferentes freqüências vibratórias através deles. Ele descobriu que à medida que tocava a escala musical, os padrões iam se alterando e surgiam uma variedade de formas muito semelhantes às encontradas na natureza. Surgiam desenhos hexagonais dos casulos de abelhas, anéis concêntricos dos troncos de árvores, formatos dos flocos de neve, estrelas do mar, etc. Com o desenvolvimento do seu trabalho, o cientista conseguiu transferir as notas tocadas num microfone para uma forma visual projetada numa tela. Ele descobriu ainda que o mantra hindu OM produz formas geométricas magníficas.  http://www.caminhosdeluz.org/

PRODUTORES PAGA PELA ÁGUA E ACHA JUSTO

O citricultor paulista Mauro Silveira
paga pela água, e acha justo

Se há produtores que recebem pela proteção de mananciais, há também aqueles que pagam pela água captada. O citricultor paulista Mauro Silveira, da fazenda São José da Gruta, em Limeira, é um deles. No último mês, ele pagou cerca de R$ 840 pela captação de 35 milímetros diários de água para irrigar os 60 hectares de suas plantações. Há quatro anos, Silveira e outros 1629 produtores e empresários instalados na bacia hidrográfica do PCJ (formada pelos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, abrangendo 62 municípios paulistas e mineiros) habituaram-se a receber uma conta que ainda não foi muito bem aceita por alguns agricultores do país. Não é o caso de Mauro, que só tem críticas à estimativa do volume consumido. 'A lavoura tem sistemas que monitoram a água do solo, por isso não irrigo sempre na mesma quantidade', defende-se.

Apesar disso, o citricultor concorda que o dinheiro arrecadado na bacia, de cerca de R$ 40 milhões, é baixo perto do passivo ambiental de R$ 11 bilhões, estimados pelo governo para sua total recuperação. 'O pagamento é importante para que se possam implantar programas ambientais', afirma. Silveira é da opinião de que as colheitas deveriam ser melhor remuneradas, já que os agricultores também têm a função de 'cultivadores' de água. Afinal, as propriedades rurais se constituem no maior abastecedor de água para o próprio campo e para as as áreas urbanas. Globo Rural

PRODUTORES PROTEGEM MINAS DE ÁGUA

Na última semana de janeiro, dona Cassilda Matias Massambani, que possui 12 hectares na zona rural de Apucarana, no Norte do Paraná, foi até a cidade para receber o primeiro de 12 cheques de R$ 113 pela entrega da 'safra'. Ela não precisou plantar para obter esse produto, de grande procura e mercado garantido, um gênero de primeira necessidade, mas que, até pouco tempo atrás, não lhe trazia nenhum rendimento. Muito pelo contrário, aliás. Como ela gosta de frisar, só fazia a renda do sitiozinho dedicado à cultura de soja e milho safrinha cair diante de exigências como recompor matas ciliares e regularizar a reserva legal, que acabaram lhe tirando mais de 2 hectares de terras produtivas. Assim, o valor recebido, que em um ano garantirá uma renda extra de R$ 1.356 à sitiante, não podia ter vindo de uma atividade para ela tão inusitada: a de conservar três minas d'água que nascem em sua propriedade e que correm para um rio da região.

A produtora não foi a única a estar na fila do recebimento. Outros 63 agricultores, com propriedades nessa bacia hidrográfica, também puseram a mão em cheques com valores entre R$ 98,30 e R$ 562,80 pelo mesmo - e importante - motivo: a proteção das minas que brotam dentro de suas terras. Tal remuneração incomum, que passa a ser mensal por quatro anos, é resultado do Projeto Oásis, lançado em abril de 2009 pela Prefeitura Municipal de Apucarana com o objetivo de melhorar a quantidade e qualidade da água dos rios que cortam o município e contribuir com a qualidade de vida dos moradores da região. Os proprietários de terra estão sendo incentivados, por meio do apoio financeiro, a proteger as suas áreas com florestas e nascentes, a aumentar a cobertura vegetal de suas terras, adotar ações de saneamento ambiental e promover práticas conservacionistas de solo e recuperação de áreas degradadas.

De acordo com o coordenador técnico do projeto, Satio Kayukawa, a ideia surgiu em 2005, quando algumas autoridades municipais passaram a ficar inconformadas com as exigências da Promotoria do Meio Ambiente e do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) para que os produtores rurais do município - minifundiários, em sua grande maioria - estivessem totalmente de acordo com a legislação ambiental, ainda que às custas de perda de renda e dificuldades econômicas. 'Decidimos premiar com dinheiro aqueles que faziam tudo direitinho e que mantinham a propriedade de forma ambientalmente correta'.
A iniciativa paranaense soma-se a outras semelhantes que surgem ainda timidamente pelo Brasil. Em nível nacional, o tema já é discutido pela Agência Nacional de Águas (ANA), que no ano passado lançou o Programa Produtor de Água, e do Congresso Nacional, que analisa um projeto de lei criando a Política Nacional de Serviços Ambientais. A nova legislação prevê mecanismos de pagamento às ações conservacionistas realizadas por particulares, inclusive usando os royalties que virão do petróleo, o que poderá estimular outras cidades a seguir os exemplos não só de Apucarana, como do município mineiro de Extrema - pioneiro na questão; de Balneário Camboriú, SC; Rio Claro, RJ; e da capital paulista; que já remuneram os chamados 'cultivadores' de água.

No caso paranaense, a presença dos 'cultivadores' de água se revela realmente importante à medida que Apucarana é uma das poucas cidades no país com seu território inserido dentro de três bacias hidrográficas, sendo contemplada com milhares de nascentes. Elas são utilizadas no abastecimento de água tratada, não só dos 122 mil moradores locais, mas também do de habitantes de algumas das principais cidades do norte do Paraná, como Maringá e Londrina. 'Sabemos que, quanto maior a poluição, maior é o custo para tratar a água que vai para as cidades. Queremos água limpa com quantidade e qualidade, por isto estamos valorizando quem realmente protege os mananciais', declara João Batista Beltrame, secretário municipal de Meio Ambiente e idealizador do Projeto Oásis.

No Paraná, produtores receberão R$ 143 mil pela conservação de recursos hídricos
A principal fonte de recursos do projeto hoje tem sido o Fundo Municipal de Meio Ambiente (FMMP), formado sobretudo com os repasses mensais de 1% do que a Sanepar - a empresa estadual de saneamento básico - fatura na cidade com a prestação dos serviços de tratamento de água e esgoto, com um valor acumulado em 2009 de quase R$ 650 mil.

Conforme Kayukawa, durante 2010, o fundo permitirá o pagamento de R$ 143 mil reais a produtores já inscritos, mas será preciso buscar outras fontes de recursos para agregar ao projeto nesta primeira fase mais 486 produtores presentes na bacia do Rio Pirapó e outros 950 espalhados pelas bacias dos rios Tibagi e Ivaí até 2012. As alternativas estudadas até o momento são a obtenção de dinheiro federal instituindo-se Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN), já que há muitas manchas de matas nativas na região, e a reversão para o fundo das multas ambientais aplicadas no município.

Enquanto se organiza internamente, o trabalho externo visa orientar os produtores sobre adequações necessárias nas propriedades para que possam receber o benefício. Os requisitos não são poucos, a começar pela regularização fundiária e averbação da reserva legal, passando pela existência de matas ciliares às margens dos mananciais e pela adoção de técnicas de conservação de solo, como curvas de nível, terraceamento, carreadores com caixas de contenção da água da chuva e uso de plantio direto nas lavouras de grãos.

A propriedade não pode ter pontos de lançamentos de resíduos animais, como dejetos da criação de suínos ou de aves, e deve fazer a correta destinação do lixo produzido, principalmente das embalagens de agroquímicos. Por último, deverá concordar com a fiscalização periódica e com as medições anuais da vazão das minas d'água. O atendimento ou não desses e de outros parâmetros acaba determinando os valores a serem recebidos. Globo Rural

PRESERVAÇÃO DOS MANANCIAIS E NASCENTES

Riacho em Extrema, MG,
palco de projeto pioneiro de preservação de mananciais

A água tornou-se um ativo tão precioso quanto a pecuária e as lavouras. Na última década, vários projetos surgiram no país com o intuito de remunerar o produtor rural pela conservação das nascentes em suas propriedades. O município mineiro de Extrema, que faz divisa com São Paulo, foi um dos primeiros a aderirem a tais programas de compensação financeira, também encontrados em outros lugares, como Espírito Santo, Rio de Janeiro e Paraná. Há três anos, a secretaria do Meio Ambiente de Extrema elaborou um plano para recuperar o Rio Jaguari, que corta a região, e o dividiu em sete sub-bacias, para facilitar os trabalhos. A ideia foi começar logo pelo mais difícil: restaurar a vegetação da sub-bacia de Posses, a mais degradada do município, com uma área bastante fragmentada e menos de 10% da cobertura vegetal. Agora, na segunda fase, os trabalhos se concentram na sub-bacia do Salto, onde vive José de Oliveira Bastos, mais conhecido por Zé Moisés.

O agricultor sabia que as nove nascentes do Sítio Bela Vista eram valiosas. Para isso, ele havia cercado boa parte delas com mourões para o gado não pisotear e causar a erosão do solo. Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA), a taxa de corrosão da terra é de 15 a 20 toneladas por hectare no Brasil. O índice aceitável está entre nove e 12 toneladas. Zé Moisés tomou essa cautela por conhecimento próprio, pois já viu as cabeceiras d´água desaparecerem na propriedade do pai, quando criança. "A terra era arada e gradeada sem nenhuma proteção", relembra. Portanto, quando o programa conservador das águas do município bateu a sua porta, "já estava lá na frente", orgulha-se. Para viabilizar o plano, a prefeitura de Extrema incluiu como prioridade um orçamento anual para o pagamento pelos serviços ambientais aos 70 produtores cadastrados - hoje calculado em 300 mil reais. O programa conta também com o apoio técnico de parceiros como a ANA, a ONG The Nature Conservancy (TNC) e o Instituto Estadual Florestal (IEF).

Os pequenos agricultores mineiros, que em sua maioria vivem da pecuária, recebem em torno de 176 reais por hectare, ao ano, para terem suas terras preservadas. Cabe a eles abrirem mão de atividades agrícolas em áreas de nascentes, e a equipe da prefeitura se encarrega de cercar áreas, plantar mudas e monitorar o trabalho. Na prática, o projeto paga para que a legislação ambiental seja cumprida. O Código Florestal determina que nascentes, matas ciliares e mananciais sejam Áreas de Preservação Permanente (APP) e que se mantenha 20% da propriedade com cobertura vegetal (Reserva Legal). Segundo Paulo Henrique Pereira, diretor da secretaria, recompensar economicamente foi uma necessidade. "Só é possível reverter a degradação com apoio financeiro aos produtores", analisa.

Globo Rural

quinta-feira, 29 de abril de 2010

ÁGUA AQUÍFERO GUARANI

Um imenso depósito de água embaixo de nossos pés. Com uma extensão de 1,2 milhão de quilômetros quadrados e capacidade para armazenar até 160 trilhões de litros de água, o Sistema Aquífero Guarani (SAG) é o maior reservatório transfronteiriço da América do Sul, situado entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. A maior parte está no Brasil, onde ocupa uma área subterrânea de 840 quilômetros quadrados. Cerca de 15 milhões de pessoas vivem sobre os locais de influência do aquífero.

Pesquisas da Embrapa Meio Ambiente apontam que os 40 trilhões de litros utilizáveis do Guarani (porção que pode ser obtida com segurança e para a qual já há tecnologia de extração disponível) seriam suficientes para abastecer, por um ano, duas vezes e meia a população brasileira, a um consumo médio diário per capita de 250 litros d'água - dobro da quantidade sugerida pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

O principal uso do Guarani atualmente é o abastecimento das cidades. Mas alguns setores da indústria e da agricultura também têm o reservatório como fonte de fornecimento, com a vantagem de que a água não precisa de tratamento. Na região de Ribeirão Preto, SP, por exemplo, a citricultura é irrigada pelo aquífero, demandando cerca de 400 mil litros d'água por hora.

No Brasil, o aquífero atinge os estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e Goiás. São Paulo é o maior consumidor. Cerca de 17% da demanda por água do estado é feito pelo Guarani. As principais cidades do norte, noroeste e oeste do estado utilizam suas águas, com destaque para Ribeirão Preto (100% abastecida por ele), São Carlos, Bauru e Araraquara.

Qualquer pessoa pode usufruir da riqueza do sistema Guarani. Não existe no Brasil um órgão regulador único que fiscalize a exploração. O controle é feito pelos estados, que têm uma legislação específica. "A legislação pode ser diferente, mas há normas gerais quanto ao monitoramento e à classificação da água subterrânea", diz Fernando Roberto de Oliveira, gerente de águas subterrâneas da Agência Nacional de Águas (ANA).

Para explorar esse recurso hídrico, é necessário que o departamento que administra as questões da água em cada estado conceda a outorga para perfuração de poços. Mas o controle interestadual tem gerado polêmica entre pesquisadores, justamente porque o aquífero abrange áreas que ultrapassam as fronteiras nacionais, por isso seria necessário ter uma legislação que regulamente o uso para que não haja excessos e para que a exploração seja feita de forma sustentável nos quatro países abrangidos pelo Guarani. "Pode ser que no futuro haja alguma intervenção da União, uma vez que o aquífero é de abrangência continental e de caráter transfronteiriço", diz Marco Antônio Ferreira Gomes, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente, de Jaguariúna, SP.

O Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee) de Ribeirão Preto, SP, estima que existam cerca de 150 mil poços regularmente explorados em todo o sistema. Não há limite de exploração, mas o órgão avalia a quantidade de água necessária ao tipo de atividade exercida.

Cerca de 90% da água do aquífero está confinada, ou seja, protegida por rochas, e 10% está em áreas de afloramento. Essas últimas estão mais suscetíveis à poluição. De acordo com especialistas, não é possível falar em uma ameaça em curto prazo. As camadas de rocha basálticas e arenitos que separam a água da superfície dificultam a penetração desses poluentes. Porém, para o diretor do Daee de Ribeirão Preto, Carlos Alencastre, a existência de cemitérios e lixões próximos às áreas de recarga pode causar um escoamento de substâncias danosas à qualidade da água do reservatório.

Já a sustentabilidade do Guarani está em perigo pela extração em excesso. "Em Ribeirão Preto, por exemplo, extrai-se 13 vezes mais do que a capacidade de recarga", diz Alencastre, informando que a superexploração pode provocar um afundamento da área. Ele conta que, há algum tempo, pesquisas da Embrapa Meio Ambiente constataram contaminação por substâncias utilizadas na agricultura, um dos riscos a que as áreas de afloramento estão suscetíveis. Mas ressalva que a coleta foi feita em áreas de água rasa, assim, não há como confirmar a poluição, pois o reservatório é profundo (pode chegar a 1.500 metros de profundidade). "Não existe informação segura sobre contaminação, até porque os produtos químicos, agrotóxicos e fertilizantes, usados apresentam degradação rápida no ambiente", esclarece o pesquisador.

O Guarani, segundo ele, tem grande potencial estratégico, tratando-se de uma reserva que poderá ser utilizada pelas gerações futuras de todos os países que o compõem. "O aquífero tem um valor inestimável. Mas, se não tomarmos cuidado, isso poderá se perder", diz.

Globo Rural

AQUÍFERO AMAZONAS SUA EXTENSÃO É DE 3 MILHÕES DE QUILÔMETROS QUADRADOS

Uma nova e recente descoberta vem ampliar ainda mais o poder brasileiro quando o assunto é disponibilidade de água. Trata-se do Aquífero Amazonas, um reservatório transfronteiriço de água subterrânea, que o Brasil divide com o Equador, Venezuela, Bolívia, Colômbia e Peru.

Sua extensão é de 3,9 milhões de quilômetros quadrados, e é constituído pelas formações dos aquíferos Solimões, Içá e Alter do Chão. Com uma extensão três vezes maior que o aquífero Guarani, o Amazonas é uma conexão hidrogeológica, com grande potencialidade hídrica, mas ainda pouco conhecida.

Segundo dados da Gerência de Apoio ao Sistema de Água Subterrânea do Ministério do Meio Ambiente, a formação Alter do Chão participa no abastecimento das cidades brasileiras de Manaus, Belém, Santarém e da Ilha de Marajó. A utilização do Solimões é principalmente para o abastecimento doméstico, sendo fonte importante para a cidade de Rio Branco, no Acre. A formação Içá abastece a cidade de Caracaraí, no sul de Roraima.

Os estudos até agora realizados atestam que a qualidade química da água do Sistema Aquífero Amazonas é boa. Entretanto, vem correndo risco de contaminação devido ao fato de, em alguns locais, o nível da água ser raso e pelo alto potencial de contaminação provocada por poços mal construídos, ausência e inadequação de proteção sanitária e carência de saneamento básico.

Cada vez mais, o Brasil vem se apresentando como a grande potência ambiental da humanidade e um local onde a natureza não economizou em nada. O País é dono da maior biodiversidade do planeta, possui a maior floresta tropical do mundo, o maior rio em volume de água e dispõe também da maior quantidade de água doce. Somos donos de 11% de toda água doce disponível no mundo. E, para completar, temos ainda o Pantanal, considerado a maior planície de inundação.

Para gerir toda essa riqueza natural, o Brasil criou e vem implementando o Plano Nacional de Recursos Hidricos, que define diretrizes para o uso racional da água e orienta políticas que tenham interação com a gestão de recursos hídricos. O objetivo é melhorar a oferta de água em quantidade e qualidade. Globo Rural

ÁGUA DA NÉVOA ÁRVORES-FONTES

Uma idéia simples que poderia, segundo garantem os seus promotores, garantir o acesso de água para um grande número de comunidades rurais que vivem em regiões áridas. Quando a chuva não cai em quantidade suficiente, os homens podem capturar as gotinhas das nuvens utilizando dispositivos que levam o nome portico de captadores de nevoa. A ferramenta é elementar: redes móveis de malha de plástico ou de aço são afixadas em estacas de aço inox, de dois a três metros de altura. Elas devem ser colocadas de frente para os ventos, que transportam nuvens e nevoa.

As gotinhas em suspensas no no ar, que formam a neblina, são interceptadas pelas redes, nas quais elas se agregam e acabam formando um fio de água que pode ser transportado ou armazenado. O rendimento médio é de 20 litros de água por dia e por metro quadrado de rede. O sistema é comercializado pela Natural Aqua, uma pequena empresa instalada nas ilhas Canárias.

A técnica na qual esses captadores são inspirados é ancestral. "A existência de árvores-fontes foi mencionada pela primeira vez no século 15, por ocasião da conquista das Canárias pelos conquistadores da Castela", explica Alain Gioda, um historiador do clima instalado no Peru, membro da unidade das ciências das águas no Instituto de Pesquisas e de Desenvolvimento (cuja sigla em francês é IRD). Ele estudou esta técnica e contribuiu para difundi-la. "Na ocasão, os conquistadores constataram que os indigenas utilizavam árvores plantadas na frente de paredes rochosas para recolherem água". O método perdurou. Inumeras espécies diferentes podem ser utilizadas; o que importa é a localização adequada da árvore, pois esta que garante o rendimento em água.

As primeiras redes de plástico inspiradas nesta técnica apareceram durante os anos 1960, mas elas se deterioravam facilmente. As malhas que foram elaboradas pela Natural Aqua tm uma duração de vida de cinco anos, enquanto as estacas de aço inox aguentam cerca de dez anos no terreno. Segundo Alain Gioda, as vantagens dos captadores de bruma são numerosas: eles permitem alimentar em água de boa qualidade aldeias isoladas, e dispensam a construção de infra-estruturas caras.

Elas podem igualmente servir para o reflorestamento de áreas desertificadas. "Cada rede colocada atrás de cada árvore proporciona um acrescimo em água importante", explica o pesquisador. O custo é limitado (algumas centenas de euros para um aparelho simples). O captor, que não requer nenhuma manutenção importante, é silencioso e não consome energia alguma. "O principal perigo que nós enfrentamos é o vandalismo", prossegue Alain Gioda. Além disso, ventos muito violentos tambem poderiam destruir o dispositivo.

As zonas propicias para a instalação de captadores são as orlas ocidentais dos continentes e as ilhas brumosas, porém carentes de chuvas. A pequena empresa Aqua Natural comercializa a técnica nos países desenvolvidos. Uma fundação batizada de Agua sin Fronteras, que acaba de ser criada, permitirá difundir os captadores nos países em desenvolvimento, fornecendo gratuitamente as plantas para as comunidades interessadas.

almacollins.zip.net

segunda-feira, 26 de abril de 2010

ÁGUA SAGRADA DESENVOLVIDA PELOS REINOS ANGÉLICOS

Existem informações diferentes para a Água Sagrada. O conceito para a Água Sagrada foi desenvolvido pelos Reinos Angélicos há mais de um milhão de anos atrás em antecipação dos tempos presentes. Os Anjos deram as informações de como formular esta Água para um grupo específico de pessoas espiritualmente conscientes.

A água que foi criada por estes místicos, na Turquia, tem mostrado, nos estudos em laboratórios científicos, que ela rompe fusões químicas não naturais (criadas pelo homem) e, assim, liberando os componentes para serem usados para outros fins. A única água disponível, atualmente, é a água para uso interno chamada de Água de Meditação.

A função desta Água não é para limpar rios, lagos etc. existem várias categorias para o uso desta Água Sagrada que são: para o meio ambiente. setor agrícola, biomedicina
meditação

Cada uma delas tem uma formulação diferente com efeitos e propósitos distintos. Não é pertinente pensar que esta Água Sagrada se propaga e fornece suprimentos infinitos.

Esta não é uma água conhecida como água aglomerada (clustered water). Ela tem mais elétrons que a água normal e, por isto, é chamada de água superionizada. Uma molécula da Água Sagrada tem a metade de uma molécula da água normal, fazendo, assim, com que se torne mais permeável para as células e tecidos permitindo que o corpo assimile essa água melhor do que a normal. Essa Água (para uso inteno de meditação) é usada para energizar o corpo e clarear a mente. Não foi formulada para curar doenças. 

A Água superionizada para uso do meio ambiente iria ser divulgada para o público pela empresa Perfect Science da Turquia em meados de setembro, mas devido ao terremoto o seminário que trataria deste tema foi adiado para o final de outubro ou novembro. http://www.eurooscar.com/

PROPORÇÃO DE ÁGUA NO CORPO HUMANO É IGUAL NO PLANETA TERRA

Distribuição da água no corpo humano

Cérebro    75%
 Pulmões   86%
 Fígado      86%
 Músculo   75%
Coração   75%
 Rins           83%
 Sangue      81% 

Há 2.000 anos, a população mundial correspondia a 3% da população atual,
enquanto a disponibilidade de água permanece a mesma? A partir de 1950 o
consumo de água, em todo o mundo, triplicou? O consumo médio de água,
por habitante, foi ampliado em cerca de 50%?

Para cada 1.000 litros de água utilizada pelo homem resultam 10.000 litros de
água poluída (ONU, 1993)

No Brasil, mais de 90% dos esgotos domésticos, cerca de 70% dos efluentes industriais não tratados são lançados nos corpos d'água?

O ser humano pode passar até 28 dias sem comer
Mas apenas 3 dias sem água 
Gotejando, uma torneira chega a um desperdício de 46 litros por dia. Isto
é, 1.380 litros por mês, ou seja, mais de um metro cúbico por mês

O que significa uma conta mais alta?
Um filete de mais ou menos 2 milímetros
totaliza 4.140 litros num mês

Um filete de 4 milímetros,
13.260 litros por mês

Um buraco de 2 milímetros no encanamento
pode causar um desperdício de 3.200 litros por dia,
 isto é, mais de tres caixas d'água

BENEFÍCO VITAL DA ÁGUA DE UM RIO

O rio penetra no interior do monastério na medida permitida pelo muro que o cerca; passa primeiro através do moinho de grãos, onde suas águas são utilizadas para a moagem sob o peso da mó e para manobrar a fina peneira que separa a farinha do farelo; em seguida, as águas confluem para um edifico contíguo e enchem a caldeira, na qual se fermenta a cerveja para os monges, caso seja necessário, em período de escassez de vinho.

Depois disso, o rio ainda não terminou sua tarefa e deve passar pelas máquinas de apisoamento que estão instaladas depois do moinho de grãos e, se antes o rio realizava sua obra para a preparação do alimento dos confrades, agora lhes serve na produção dos tecidos, obedecendo docilmente.

Ergue e abaixa os pesados blocos de madeira das máquinas de apisoamento [ou pisões, ou se preferirem, martelos, ou ainda pés de madeira: este último nome parece mais adequado, pois os apisoadores socam com os pés, saltando de modo rítmico].

De fato, quantos dorsos de cavalo, quantos braços humanos a faina do apisoamento teria arrasado! Mas desta faina nos liberta o rio e dela nos faz dádiva; ademais, sem o rio, como poderíamos algum dia nos vestir e matar a fome? O rio põe tudo em comum e, por seu trabalho, realizado sob o sol escaldante, não pede outra recompensa senão a permissão de seguir adiante, depois de ter cumprido todas as suas tarefas com rapidez e solicitude.

Além disso, quando a energia do rio faz girarem velozmente todas as rodas, ele gera espuma e parece que moeu a si mesmo e ficou mais cansado. Depois, ele entra no curtume, ode dedica seus cuidados e seu trabalho à preparação do material necessário para os calçados dos monges; divide-se, então, em vários pequenos rios, e em sua corrida apressada passa por inúmeros compartimentos, chegando até onde os seus serviços são necessários para os mais diversos escopos: cozinhar, girar as engrenagens, fracionar, banhar, lavar, moer, suavizar, sempre oferecendo de bom grado os seus serviços; por fim, para merecer completamente os agradecimentos e para não deixar nada incompleto, transporta consigo os detritos, deixando tudo limpo.

CRIADA LIGA METÁLICA SÓLIDA APENAS COM ÁGUA

Quando se trata da água, não basta dizer que estamos cercados por ela o tempo todo; como elemento indispensável à vida, em grande medida nós somos água. Mas a nossa tão familiar H2O, além dos seus conhecidos estados líquido e sólido, na forma de gelo, quando submetida a altas pressões, pode assumir mais de 15 formas diferentes.

Agora, uma equipe de cientistas de várias instituições norte-americanas utilizou raios-X para dissociar moléculas de água sob altíssima pressão e formar uma mistura sólida - uma liga - de oxigênio e hidrogênio moleculares.

Uma pequena quantidade de água foi submetida a uma pressão de 17 Gigapascals, cerca de 170.000 vezes maior do que a pressão atmosférica ao nível do mar, no interior de uma câmara de diamante. Quando receberam uma descarga de raios-X, praticamente todas as moléculas da amostra de água se separaram e se recristalizaram em uma liga sólida de O2 e H2.

Os raios-X são a chave para a quebra das ligações O-H da água. Sem a radiação, a água permanece em uma forma de gelo conhecida como gelo VII - há pelo menos 15 variantes de gelo, formadas quando a água é submetida a alta pressão sob diferentes condições de temperatura.

"Nós conseguimos disparar os raios-X com o nível exato de energia," diz o cientista Russell Hemley. "Qualquer coisa acima, e a radiação tende a passar direto através da amostra. Qualquer coisa abaixo, e a radiação é em grande medida absorvida pelos diamantes em nosso aparato de pressão."

Essa faixa particularmente estreita de energia explica porque, em centenas de experimentos anteriores envolvendo alta pressão e raios-X, a reação de quebra das moléculas e formação da liga sólida não foi descoberta; além disso, na maioria das vezes, os cientistas utilizam raios-X de alta energia. A experiência que agora descobriu a liga sólida de água também exigiu uma irradiação de longa duração, de várias horas, o que não havia sido tentado antes. Embora a substância seja claramente um sólido cristalino, mais experimentos serão necessários para determinar com precisão sua estrutura cristalina. A liga sólida de oxigênio e hidrogênio manteve-se estável até a pressão de 1 Gigapascal, suportando todos os testes que os cientistas fizeram, envolvendo bombardeamento com mais raios-X, raios laser e alterações de temperatura. http://www.inovacaotecnologica.com.br/

ÁGUA BACIA DO RIO XINGU SERÁ MONITORADO POR TRIBOS INDIGENAS DO MATO GROSSO E PARÁ

O Instituto Socioambiental (ISA) e a Agência Nacional de Águas (ANA) firmaram um convênio de capacitação de tribos indígenas para reforçar o monitoramento da bacia hidrográfica do Rio Xingu, localizado no Mato Grosso e no Pará. Os índios farão o levantamento de dados para elaboração de planos de gestão para a conservação da bacia.

O acordo prevê a instalação de estações de observação e coleta, estudos sobre a qualidade e a quantidade da água, entre outras ações. O superintendente de administração da rede hidrometeorológica da ANA, Valdemar Guimarães, diz que o acordo será importante para que a agência possa utilizar os dados obtidos sobre a bacia hidrográfica, considerada uma das mais importantes do país.

"O ISA já está junto à comunidade e pode nos auxiliar na avaliação dos impactos que estão ocorrendo no local", explica Guimarães. O acordo foi motivado pela realização da campanha 'Y Ikatu Xingu, que tem o objetivo de proteger e recuperar as nascentes e matas ciliares do Xingu no Mato Grosso. Para o coordenador da campanha pelo ISA, Márcio Santilli, o termo de cooperação é uma oportunidade para facilitar o acesso da ANA ao cenário local."

A idéia é montar uma rede consistente que possa fazer o monitoramento da bacia como um todo e de produzir informações regulares ao longo do tempo sobre a situação da água", afirma Santilli.

De acordo com o Instituto Socioambiental, a Bacia do Xingu tem 51 milhões de hectares, sendo que 17 milhões estão situados no Mato Grosso, percorrendo 35 municípios do estado. A campanha "Y Ikatu Xingu trabalha atualmente com 18 projetos de recuperação de mata ciliar em diversos municípios no entorno do Parque Indígena do Xingu. Ecopress com informações da Agência Brasil

ÁGUA AGLOMERADA PARECE FLOCOS DE NEVE PADRÕES HEXAGONAIS

Quatorze anos atrás, surgiu um novo tipo de água na terra, chamada água aglomerada. Ao microscópio a água parece flocos de neve. Compõe-se de pequenos hexágonos, pequenos padrões hexagonais.

Esta água é encontrada em todos os bebês: bebês humanos, arvorezinhas, potrinhos. Todos os bebês são repletos de água aglomerada. Mas em pouco tempo nós a perdemos, e ela se transforma em água estruturada. E então logo logo, por causa do modo como vivemos neste mundo poluído, começa a se transformar em água não estruturada.

A pesquisa sobre água aglomerada é nova. Parece ser um definitivo passo adiante para permitir que a consciência dentro do corpo humano se manifeste mais rapidamente.

http://www.amaluz.com.br/

segunda-feira, 19 de abril de 2010

COM QUE DIREITO JAMES CAMERON DIRETOR DO FILME AVATAR OPINA EM ASSUNTOS QUE DIZ RESPEITO SOMENTE AO BRASIL ?

O diretor de 'Avatar', James Cameron,
e a líder indígena Sheila Juruna
durante entrevista coletiva em apoio à manifestação
contra a construção da Usina de Belo Monte,
no Rio Xingu (PA) (Foto: Valter Campanato/ABr)

O vice-presidente José Alencar criticou nesta terça-feira o cineasta James Cameron, diretor de “Avatar”, pelas críticas à construção da usina de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará. Cameron participou nesta segunda-feira (12), em Brasília, de protesto contra a usina. "É uma pessoa. Se passar da conta, tem que dar um ‘pito’ nele", disse José Alencar.

Ele afirmou que a usina hidrelétrica precisa ser construída, por seu porte gigantesco e potencial de geração de energia. Nesta terça, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou o adiamento para sexta-feira (16) do prazo de inscrição para os consórcios interessados em participar do leilão da usina.

Em Brasília, Cameron  disse que o problema de Belo Monte não é só do Brasil” e que iria pedir apoio de congressistas norte-americanos na luta contra o projeto. “Esta não é uma questão só do Brasil, mas do mundo todo. Vou para Washington para conversar com senadores”, afirmou.

Segundo o cineasta, a usina vai desalojar a população ribeirinha e pode acelerar o aquecimento global. Ele explicou que a construção da hidrelétrica vai provocar a inundação da vegetação nativa e gerar gás metano. “Washington deve ter interesse [em evitar a usina]. É um problema internacional. O reservatório vai provocar o impacto do metano, que é 20 vezes mais danoso do que o gás carbônico”, afirmou.

O diretor também defendeu que os Estados Unidos contribuam com a preservação da floresta Amazônica através de financiamentos para projetos ambientais. “Se evitar o aquecimento global significa preservar a floresta Amazônica, então os Estados Unidos devem contribuir, inclusive financeiramente”.

O diretor de ‘Avatar’ disse esperar que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se convença dos danos que a construção da usina supostamente pode provocar. “Eu o desafio a ser um líder, o líder do século 21”, disse.

O cineasta afirmou ainda que um projeto da magnitude de Belo Monte não pode ser iniciado sem que especialistas ambientais e a população afetada sejam ouvidos. “Não se decide se um projeto é bom ou ruim depois de iniciado o processo”, criticou.

Na semana passada, o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, defendeu a construção de Belo Monte e disse que a legislação ambiental foi respeitada.
Portal de Notícias da Globo

quinta-feira, 15 de abril de 2010

ÁGUA SAGRADA A CURA DO MUNDO MESTRES SUFI

Deva consagra o Discipulo

Há dez anos, havia um pequeno grupo de mestres sufi velhíssimos, que
estavam entoando Zikhr na Turquia. Eles são sossegados, ninguém sabe
deles. Eles estão criando alguma coisa, ou permitindo que algo que a
humanidade nunca viu venha através deles.

Um dos homens desse grupo, é mestre sufi, tem 78 anos, parece que se
sente como se tivesse cerca de 40. Nunca se saberia que se trata de uma
pessoa mais velha. Ele deu algo ao mundo...apenas lhe deu um pouco de
água. Um pouco de água jamais vista pela raça humana. Ele disse: "Aqui
está, isto é para a cura do mundo."

Começaram a pesquisar, descobriram que sempre que colocavam esta
água num lago ou num rio poluído, imediatamente, dentro de dias, em
geral três ou quatro dias, todo o lago, todo o rio ficavam absolutamente
limpos, como eram mil anos atrás. Até mesmo o sedimento e tudo que
havia ali.

Em janeiro, que por sinal cai exatamente na janela egípcia, época que,
segundo me disseram os anjos, algo novo vai surgir na terra, tentaram
entrar em contato comigo. Mas eu estava ocupadíssimo perambulando
pelo mundo. Continuaram tentando e tentando. E eu dizendo: "Não, não,
não posso fazer isto, não tenho tempo."

Finalmente, há cerca de três meses, eu ainda estava sem tempo, mas
enviei algumas das pessoas com as quais trabalho para a Flórida para
ver se o que eles estavam dizendo era realmente verdade. Eram pessoas
treinadas capazes de identificar se tratava de algo real ou apenas uma
ilusão.

Elas não conseguiam... falaram pelo telefone comigo e mal conseguiam
falar. Pareciam crianças, estavam tão excitadas. Só ficavam falando:
"Não consigo acreditar, é mesmo real." Era realmente verdade!

E assim acabei de voltar de uma reunião realizada em Washington D.C.,
numa salinha secreta, com os militares, a Força Aérea, o exército, a CIA,
o FBI... esses caras todos, uns 15 físicos e químicos de altíssimo nível
que trabalham em grandes empresas. A reunião foi realizada numa
empresa que aparece na Fortune 500  [prestigiosa lista anual publicada
pela revista norte-americana Fortune que inclui as 500 maiores empresas
dos Estados Unidos] .

Tive de assinar todos aqueles documentos dizendo que eu teria cuidado
com o que dissesse. Mas eles estão me deixando dizer o que eu posso
dizer, e o que posso dizer já é muito bom.

Primeiro trouxeram dois recipientes grandes de água poluída. Um deles
cheirava a esgoto. Era marrom, nojento, não podia ser pior. E puseram
aquilo lá. O segundo era outro tipo de água poluída marrom amarelada
que cheirava a gasolina e óleo e obviamente continha substâncias
químicas. E era bem difícil cheirar aquilo também.

Eles os puseram no alto, e o apresentador disse: "Agora este seria um
lago." E pegou mais ou menos uma colher de chá, dizendo que era bem
mais do que o necessário, mas faziam aquilo para ser mais rápido, pôs
uma pequena colher de chá de água ali e afastou-se de forma a não haver
nenhuma influência. E, muito lentamente, no decorrer de duas horas,
observamos as duas águas, a poluição aos poucos sedimentou. Em
cima ficou a água mais limpa, mais clara que se poderia imaginar, tudo
foi direto ao fundo. E não havia nada, até mesmo o sedimento e tudo
mais tornaram-se água absolutamente límpida. Isto é mesmo real

Ele então pegou um peixinho dourado e o colocou lá dentro, e ele
nadava pela água mostrando que se houvesse qualquer substância
química ou qualquer coisa lá ele morreria. E depois de três horas, o
peixinho ainda estava nadando.

O que é interessante...eles me chamaram. O cabeça de todo este projeto
me chamou no dia seguinte dizendo: "Você não vai acreditar. Eles tiraram
o peixe da água e o recolocaram no aquário lá de baixo e quando chegaram
na manhã seguinte, todo o aquário estava limpo" . Ficou totalmente limpo e
claro.

Pegaram uma lata de óleo puro de motor, abriram a tampa, misturaram com
outro tanto de óleo assim, colocaram umas três ou quatro gotas de água e
sacudiram. Dentro de três segundos, o óleo de motor já não estava na terra.
Em vez dele, havia proteínas e aminoácidos...comida de peixe.
Instantaneamente!

Esta é uma analogia interessante porque o petróleo é o produto final de
milhões de anos de vida. É o final, é preto, é o fim. E quando entra em
contato com esta água, imediatamente se torna branco, transformando-se
em proteínas e aminoácidos, o começo da vida.

ÁGUA SUPERIONIZADA

Nada mais que água com três elétrons extras nas órbitas exteriores. Os
cientistas, físicos e químicos do mundo a têm estudado nos últimos anos,
mantendo isso em segredo. Nenhum deles, com todas as suas credenciais
e tudo, embora possam ver isto acontecer, consegue lhes explicar como
está acontecendo. Eles não sabem! Não conseguem atinar uma explicação.

E ainda por cima, ao se estudar a reação, e existem certas coisas que não
posso lhes contar, é como se esta água tivesse consciência, estivesse viva
e soubesse o que está fazendo! Sabe exatamente o que está fazendo
porque ela...toma parte numa reação, uma reação química e faz uma coisa,
e participa de outra reação com um tipo semelhante de composto, e faz
outra coisa que somente poderia ter sido feita com uso da consciência.

Sabemos que há algo diferente nesta água, porque se pegarmos uma
lâmpada, uma lâmpada comum, e cortarmos o fio e se ligarmos os dois fios
a lâmpada se acende. Se colocarmos esses dois fios na água, que é um
dielétrico, nada acontece, é como uma lâmpada apagada. Mas se colocarmos
os fios em água superionizada, a lâmpada acende. Ninguém jamais viu isso.
Isso é impossível segundo tudo o que conhecemos.

Existe um fluxo de energia elétrica na água, que estão descrevendo como
elétrons líquidos. Isto veio de professores e mestres sufi como uma dádiva
ao mundo. Se vocês pudessem ao menos saber o que eu sei, se ao menos
pudessem ver o que eu vi.

Foram à Baía Izmit na Turquia, que fica a 45 minutos de Istambul, [é a que
ficou limpa e para onde voltaram os peixes]. A Baía de Izmit é muito poluída,
é a massa de água mais poluída do planeta. Parece puro óleo. É preta. Já
não é água. É apenas um óleo preto. E levaram dois tanques enormes, como
piscinas e os encheram com esta água negra. Um tanque era o controle e o
outro o experimento. E pegaram apenas dois galões desta água, para as
centenas e centenas de milhares de litros desta água podre. De tão ruim
estavam se formando bolhas pretas na superfície. Em algumas horas, o
tanque ficou cristalino. Estava limpo. Mas eles não podem mantê-la limpa
porque há canais do tamanho desta sala [a palestra estava sendo realizada
no ginásio de uma escola] que constantemente despejavam lixo na baía,
problema que eles terão de resolver se quiserem mantê-la limpa.

Outra coisa interessante sobre isto é que não importa o tipo de poluição da
água, não importa o que ela contém, ela a transforma em pura água cristalina
e limpa, chegando a perfeitamente equilibrar o pH em 7, não importa o que é,
não importa com o que se começou. Ele já fez isto tantas vezes a esta altura
que o faz sem nem mesmo olhar. Ele gruda o papel e diz: "Olhem, 7" sem
sequer pensar porque a água faz isto automaticamente. A consciência sabe exatamente o que fazer naquele sistema e como restaurá-lo.

Não funciona apenas na água, faz o trabalho na água, a água atua na terra
também, e no solo. Eles mostraram nos vídeos onde se pode pegar imensos depósitos de lixo que constantemente queimam metano, não conseguem dar
cabo da queima porque continua queimando...eles podem borrifar esta água
nos depósitos de lixo e instantaneamente tudo se transforma. Todos os hidrocarbonetos ali presentes se alteram, se transformam em fertilizante, de
natureza orgânica, não têm absolutamente nenhuma substância química
embora se originem de substâncias químicasTodo o cheiro do depósito de
lixo desaparece, instantaneamente, num estalar de dedos. Tem cheiro de
rosas. Cheira bem novamente. Os incêndios são imediatamente apagados e
não recomeçam.

Mostraram que nos lugares onde eram colocados todos esses materiais
tóxicos e tudo, em alguns dias plantas e legumes começam a crescer nestes depósitos tóxicos.Isto é mesmo real. Não é enganação, é real mesmo. É difícil imaginar que algo possa surgir debaixo da terra desse jeito, mas realmente
acontece.

Há muitos, muitos efeitos colaterais superpositivos e não me deixam lhes
falar da maioria deles porque a atual conjuntura financeira seria totalmente
sacudida. Há coisas que ela faz que a água consegue fazer, mas faz, bem
diante de seus olhos, vezes seguidas. Produz um impacto sobre nós, e terá
um impacto sobre nós que não podemos realmente imaginar neste momento.

Só para lhes contar um dos efeitos colaterais que vão revelar, vou falar sobre
um deles apenas. Tem que ver com incêndios, incêndios em florestas, ou
incêndios em poços petrolíferos, ou qualquer tipo de incêndio, em especial provocados por gasolina e petróleo que são quase impossíveis de apagar.
Quando a água entra em contato com esses incêndio, apaga-os
instantaneamente, zás-trás. E é impossível reacendê-los. Podem jogar
palitos neles, na gasolina, imediatamente, e não reacenderá porque
transforma a gasolina em outra coisa que não queima. E assim, em incêndios
em florestas, se borrifarem a água, o fogo se apagará imediatamente. E em
árvores vivas, o que é ótimo para a árvore, essa árvore não pegará fogo
durante horas depois. Então, apaga o fogo imediatamente, imediatamente.
Este é um dos efeitos colaterais desta nova água que nós... Quem me dera
eu pudesse lhes contar o que vem por aí depois disto .. Não posso...Não
posso lhes contar ainda. Não me deixam contar. Não posso. Mas é bom
demais!

Então estamos agora, todos os... neste exato momento, a Rússia e mais
oito grandes países do mundo, estão fazendo agora enormes pesquisas
sobre isso por toda parte. Estão, no mundo inteiro, pondo secretamente
essa água em lagos e rios poluídos...que estão simplesmente...puft ficando
limpos diante de nossos olhos. É simplesmente incrível. Podemos pegar
uma baía, como a baía de São Francisco, e em quatro dias conseguiremos
enxergar 18 metros dentro da água, como se estivéssemos olhando a água
assim [Ed.: Segura um copo de água de beber]. E em dois meses, a água
descerá até o fundo chegando ao sedimento asqueroso e transformando-o
em proteínas e aminoácidos e a água ficará cristalina e limpa. Em dois meses!
E é neste pé que estamos. Isto é mesmo real. É incrível! O melhor de tudo é
que os governos do mundo vão permitir que isto aconteça!

Pouco antes de começar a falar, eu estava conversando com a Força Aérea
dos Estados Unidos, que poderia parar algo desse gênero bem depressa
por diferentes razões. Eles querem que isto aconteça! Querem que seja
divulgado! E é a mesma coisa com os vários países ao redor do mundo com
os quais estamos falando. As Nações Unidas também estão envolvidas nisto. Ninguém consegue acreditar. Não sabem o que dizer disto. É um milagre, um
milagre planetário acontecendo bem na nossa frente, neste momento!

Está acontecendo, neste exato momento, a Turquia, como país, ficou tão
animada que eles construíram uma instalação de 48 milhões de dólares para
criar esta água. E agora eles podem enviar cem mil toneladas por dia dela a
qualquer lugar do mundo e estão se preparando para fazer isto.

Agora os países de todo o mundo com os quais estamos falando, e querem
tomar parte, estão observando, querendo com cautela, mas não sabem
como proceder porque ninguém sabe explicar. Nenhum químico do mundo
sabe explicar como a água está fazendo isto. Não é possível misturar óleo e
água. Óleo e água não se misturam. Mas a água superionizada sim.
Mistura-se instantaneamente.

Então, surgiu algo novo na terra. E sinto que é realmente importante porque,
como todos vocês sabem, sou profundamente ligado aos índios hopi e a
profecia hopi. E a profecia hopi diz que um pouco antes de passarmos ao
próximo nível, ao quinto mundo, do ponto de vista deles; a quarta dimensão,
de nosso ponto de vista, eles falam de como o mundo todo torna-se limpo e
claro como era há milhares e milhares de anos. Os oceanos, os rios, os céus,
tudo. E nós teremos este mundo limpo. E é a visão deste mundo ficando
limpo, em muito pouco tempo, que inspira o mundo a se desprender de sua
dor e de tudo aquilo que eles...

E assim, tendo dito isso, existem certas empresas neste mundo que têm conhecimento disto e não querem que isto aconteça. Principalmente
empresas petrolíferas, e não posso lhes dizer por que (risada) mas não
podemos deixar que isto se apague de nossa memória. Façam toda a
pesquisa que puderem. O nome da empresa que está fazendo isto é
Perfect Science (Ciência Perfeita) e fica em Istambul, na Turquia.

O fundador da empresa não está na Internet. É apenas uma pessoazinha
bela e humilde que descobriu algo que está ofertando ao mundo. Não é
realmente um cientista! Mas agora ele vestiu um terno, está trabalhando
com os governos do mundo, tentando divulgar isto ao mundo. Isso será
divulgado porque o que vocês realmente estão vendo é um nível
elevadíssimo de consciência surgindo desta água.

Os próprios sufis, quando falam sobre isto, não falam dela como "a água."
Referem-se a ela dizendo: "ela participa das reações químicas,"
"ela faz isto" e "ela faz aquilo." Estão se referindo à natureza da
consciência presente na água. Este é o começo do que eu sabia que
aconteceria. Estou muito honrado por poder transmitir-lhes isto. Realmente
estou, realmente.

O BATISMO DO PLANETA

Sabem que no batismo, na visão cristã do batismo, podemos ser batizados
uma vez só, e ele remove todos os pecados. Depois disso, temos de nos
haver por conta própria com cada pecad. Esta é a parte divertida. Estamos
a ponto de ver a mesma coisa.

Nos próximos 12 meses, mais ou menos 14 quatorze meses, vamos ver o
mundo ficar limpo...e vai ser como o batismo do mundo todo. E então, dali
em diante, nossa responsabilidade será de, toda vez que fizermos algo, nos
lembrar de quem somos, e de onde viemos, e do que é realmente tudo isto,
é amor.  E então... Ela...Tudo com o que entra em contato, tudo, ela
transforma, criando uma situação positiva, e criando algo positivo para o
mundo. É uma consciência viva na água.

Desde esta palestra, já se pode encontrar um pouco da água. Se quiserem
mais detalhes, meu e-mail é mike@transformacomm.com .

Neste momento é uma coisa acontecendo em nível governamental.
Realmente está nas mãos dos governos do mundo se vão deixar divulgar
ou não....  

Estamos trabalhando com a Austrália, vamos fazer a Austrália e limpar o
porto de Sydney e esta coisa toda. Estamos renegociando agora com
esse governo uma forma de fazer isso. Vamos renegociar todos os
nossos contratos no mundo que nós...Em vez de usar formas de ondas,
vamos diretamente...Limpar a baía, nós só pulverizar a baía com esta água
e esperamos dois meses. Está por toda parte. A mesma coisa nos rios e
lagos e tudo mais. Quisera poder lhes contar o resto [risada], mas não
posso.

O que faz a corpos humanos? Talvez seja o mais interessante de tudo. 
Aplica-se ao lixo nuclear? Sim.

Parece servir para quase tudo. Há certos problemas que eles não testaram
ou não têm certeza. O governo turco está sendo muito cauteloso ao dizer:
"Isto deve sanar pelo menos 70-80% de todos os problemas de poluição
do mundo." Estão sendo cautelosos quanto a isto. E então, o que ela vai
fazer é nos dar tempo. Porque, posso lhes contar agora mesmo, os bancos
mundiais, e as pessoas no controle sabem, que se essa água não tivesse
surgido, se algo assim não tivesse aparecido, nos restaria apenas menos
de três 3 anos neste planeta. Toda a vida desapareceria.

[Ed.: Acredito que isto se relacione à diminuição dos níveis de oxigênio do
planeta a um ponto no qual a vida não pode ser sustentada]. E eles sabem
isto, e estão se preparando para isto. E agora tudo está mudando. Não
sabemos quanto tempo conseguimos, mas conseguimos bastante.

E isso realmente significa que Deus está presente. Deus sempre está aqui,
nunca nos deixou, sempre está conosco, e fomos nós que nos esquecemos
de Deus. E Deus está prestes agora a se fazer muito óbvio.

Drunvalo Melchizedek deu esta palestra em 01.05.99 na celebração do
Festival de Wesak de 99 no Monte Shasta.

Dr. Joshua David Stone organiza esta  conferência anual http://www.drjoshuadavidstone.com/

No dia seguinte, Drunvalo Melchezidek fez uma segunda conferência
sobre mais cinco fenômenos que vinham acontecendo. Ambas as
conferências foram uma mensagem de esperança tão grande para a
humanidade que senti necessidade de passar a notícia a todos. Há
uma transcrição de ambas as palestras disponível no Web Site
Transformacomm http://wwwtransformacomm.com tanto no formato
HTML como TXT (ASCII). Contém também links para web sites
relacionados, bem como as últimas notícias sobre a água, dizendo
como obter um pouco. Os que estiverem no local trabalho, lembrem-se
de que algumas páginas têm música.

As fitas destas conferências estão disponíveis por intermédio da empresa
que gravou toda a conferência, Rainstar Designs http://www.rainstar.com/
email rainstar@jetlink.net.

Drunvalo é o autor dos recém-lançados The Ancient Secret of the Flower
of Life (O Antigo Segredo da Flor da Vida) e seu web site pessoal é http://www.drunvalo.net/

Esta fita foi transcrita da melhor forma possível. Queiram perdoar nomes
ou palavras escritos erradamente, bem como qualquer erro de impressão.
Passagens das quais ainda não tenho certeza estão marcadas da
seguinte forma "[Texto duvidoso (???)]." Acrescentei os títulos eu mesmo
para tornar um pouco mais fácil encontrar as informações. Em alguns
trechos, foram inseridos esclarecimentos com a menção (Ed.:). O resumo apresentado no princípio foi inspirado e remetido por um amigo. Agradeço
ao autor Jalien, onde quer que você esteja e seja você quem for.

A Amaluz atualizou este texto pela última vez em 08 de julho de 1999
http://www.amaluz.com.br/ Publicado originariamente na revista Amaluz,
que não mais tem sido editada, embora fosse uma ótima publicação.
Fazemos votos de que possa renascer, com a mesma qualidade de antes