sábado, 17 de julho de 2010

ABELHAS DESCOBREM E INFORMAM ÀS COMPANHEIRAS ONDE ESTÁ A FONTE DE NÉCTAR

Em 1973, Karl von Frisch ganhou o Prêmio Nobel por sua pesquisa sobre o comportamento das abelhas. Essa pesquisa foi realizada ao longo de cinqüenta anos, com paciente observação do modo de vida desses insetos.

Primeiro, von Frisch observou como as abelhas coletoras de néctar avisam as companheiras a que distância estão as flores que acharam. Para isso, colocou duas taças com água açucarada, uma próxima e outra distante da colméia. As abelhas iam buscar água tanto numa quanto na outra taça. Von Frisch marcava cada abelha que visitava a taça próxima com um ponto azul, e as que visitavam a taça afastada com um ponto vermelho. Segundo as palavras do próprio pesquisador: "... para meu espanto, todas as abelhas com pontos azuis, que visitavam a taça próxima, dançavam em círculo para avisar as companheiras, enquanto as vermelhas, que visitavam a taça afastada, faziam pequenos movimentos agitados."
Depois, colocou várias taças próximas, todas à mesma distância. Pouco a pouco, foi afastando as taças. Dessa vez observou que o ritmo da dança das abelhas ia aumentando à medida em que a distância das taças aumentava.
Von Frisch ainda descobriu mais tarde que as abelhas não apenas comunicavam às companheiras a distância do néctar [ou da água açucarada, no caso do experimento], mas também informavam a respeito da direção em que o alimento se encontrava. Observando as abelhas, viu que, à medida que as horas passavam, elas modificavam progressivamente a direção da dança no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Elas iam virando segundo um ângulo que correspondia ao ângulo que o Sol descrevera naquele tempo.

Assim, concluiu von Frisch: "as abelhas que descobrem uma fonte de néctar informam as companheiras onde está essa fonte. Sobre a prancha de decolagem fazem isso com uma dança elaborada, com determinados movimentos, com uma certa velocidade e apontando para uma direção."

http://www.editorasaraiva.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário