quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ESPETACULAR SOCIEDADE DAS ABELHAS

Abelhas e zangões num favo de mel
Favo de mel de abelhas domésticas
com alguns ovos no seu interior
Favos de mel de abelhas da espécie Apis Mellifera
com ovos e larvas de zangões. As paredes dos favos
foram removidas. As larvas tem de 3 a 4 dias.
Larvas de zangões
Diferentes estágios de desenvolvimento das pupas de Apis Mellifera
Pupas de zangões em favos de mel(abertos).
Os da direita tem mais dias de desenvolvimento

As abelhas são conhecidas por serem insectos extremamente organizados, especialmente na produção de mel. Na verdade, todos os seus 21 dias de vida - caso nenhum acidente aconteça no caminho - são dedicados à produção de mel.

Na sociedade das abelhas (Apis mellifera), distinguem-se 3 tipos de indivíduos: rainhas (possuem ferrão utilizado somente para postura), zangões (sem ferrão) e operárias (que possuem ferrão).

Alimentam-se do néctar e pólen que retiram das flores levando-os para a colmeia e armazenando-os em favos. Todo o trabalho da colmeia (colecta de pólen, néctar e própolis; limpeza; defesa; construção de favos e alimentação das larvas) é realizado pelas operárias.

Esses indivíduos formam a população de uma colmeia. A rainha é a única fêmea fértil da colmeia. É ela a responsável pela reprodução: põe de 2000 a 3000 ovos por dia; alimenta-se exclusivamente de geleia real e pode viver até 5 anos. Em cada colmeia só existe uma rainha. Os zangões são os machos da colmeia e sua função é fecundar a rainha. Isso ocorre apenas uma vez na vida dessa Abelha responsável pela produção de ovos. Quando a população de uma colmeia se torna muito grande, as operárias criam uma nova rainha. Alguns dias depois de nascer, ela sai com os zangões para o voo nupcial. Aí, então é fecundada e os espermatozóides. ficam guardados num receptáculo no interior do seu corpo – a espermateca. De volta a colmeia, a nova rainha assume seu papel de reprodutora e a velha rainha sai com uma parte do enxame à procura de um outro lugar para estabelecer a sua nova casa. Quando a população de zangões fica muito grande, as operárias matam-nos, pois eles não produzem nada, a sua única função é fecundar a rainha. As operárias executam todas as tarefas dentro da colmeia. Guardam a entrada da colmeia e protegem a rainha, etc. O tempo de vida de uma operária é em média, de 45 dias. Após esse período, ela abandona a colmeia indo morrer longe das outras, para não lhes dar nenhum trabalho. Assim é que é!

Ciclo de vida
Uma colméia de Apis mellifera contém em média 50 a 60 mil indivíduos, sendo a maioria composta por operárias, alguns zangões e apenas uma rainha. O tempo de vida varia: a rainha vive em média de 2 a 5 anos, o zangão cerca de 80 dias e as operárias de 32 a 45 dias. Todos estes indivíduos sofrem metamorfose completa, isto é, passam pelas seguintes fases:

Ovo Larva Pupa Adulto
A rainha é a única fêmea fértil, e, depois de fecundada por vários zangões, armazena os espermatozóides por toda a vida, podendo colocar até 2 mil ovos por dia na altura das flores. Dos ovos podem nascer operárias (fêmeas estéreis) e novas rainhas, o que vai depender do tipo de alimentação que a larva recebe. Já os zangões (machos da colmeia), nascem de óvulos não fecundados.

Uma parte das abelhas de uma colmeia, em determinadas condições (colmeia muito populosa por exemplo), pode abandonar sua morada à procura de novo abrigo e constituem o que se denomina de enxame viajante.

O enxame é a família migrante composta, via de regra, por uma rainha-mãe acompanhada de uma boa parte das abelhas operárias e zangões.

Os enxames em geral são mansos, porque estão com as atenções voltadas para a sobrevivência da família e a guarda da sua rainha. A agressividade é esporádica e ocorre em situações em que as abelhas se sentem agredidas ou em situação de risco.

As abelhas quando viajam em enxame levam uma reserva de mel nos papos e não conseguem dobrar o abdómen para aplicar o veneno.

De vez em quando elas pousam para descansar, é quando se amontoam nalgum um canto formando um "cacho" em torno de sua rainha e se abrigam em locais como coberturas de garagens, árvores e outros locais. Algumas operárias ficam voando à procura de abrigo definitivo, que lhes ofereça protecção total, como interiores de telhado, porões, cascas, muros ocos, móveis vazios e abandonados entre outros. Quando encontra, todas imigram para este local e começam a construção dos favos.

http://commons.wikimedia.org/wiki/User:Waugsberg/Images/Bees_and_Beekeeping

Nenhum comentário:

Postar um comentário